terça-feira, 26 de julho de 2016

Retorno ao Alegrete



Quase quinhentos quilômetros nos separam,

Alegrete da minha criança.

Mas não há distância

Que separe minha lembrança

De ti, cidade da minha querência.

Caminho por tuas ruas e praças

Como quem volta ao passado 

E me reencontre em cada passo.

Estás bem ali de novo com tuas histórias

Singelas mas marcantes para minha memória.


Foi por sonhar acordado em tuas esquinas

Que inventei o meu mundo,

Cheio de imensidões e estreitezas simultâneas.

Foste um trampolim para saltar fora

Com identidade, intenção e sentido.

Porque contigo aprendi o desejo de ir longe

Deixando por ti saudade, sentimento e desejo,

Cidade pequenina, de tantas lonjuras e vastidão,

De tantas idas e vindas em meu viver andejo.

Nem sempre ao teu encontro, mas contigo no coração.



 Porto Alegre, 26 de julho de 2016.

Edu Cezimbra