sexta-feira, 31 de março de 2017

As mais curtidas de março no facebook


Preso pela PF o principal suspeito de adulteração de ovos de páscoa na operação "Ovo Choco". 


Reler um bom livro é como reencontrar um velho amigo que há muito não se via!


Lasier é um golpista reincidente: depois de golpear a Dilma agora golpeia a esposa.

 

O dia em que a morte de um escritor como Noll causar comoção falaremos em educação.

 

Tudo isso acontecendo e eu aqui na praça tenteando o chimarrão da noite.

 

Pensa menos em boné novo e mais em usar a cabeça, mano!

 

O semelhante cura o semelhante se tratar com empatia.

 

Chomsky:Trump fará atos terroristas para obter apoio.- E sua eleição foi o quê?!

 

Pacto faustiano: terás teu emprego mas perderás teu planeta, - e tem quem assine...

 

Temer acabando com o pouco de Estado de Bem-Estar no Brasil, diz que precisamos acabar com esse mal-estar. Concordo: #ForaTemer 

 

Maior concetração de "carne fraca" do Brasil: Praça dos Três Podreres,digo, Poderes.

 

O Brasil é tão conservador que suas autoridades tem cheiro de formol.

 

O Brasil é tão conservador que até seus políticos e magistrados estão em conserva.

 

- Ovo mole em pedra dura tanto bate que quebra.
- ÓBVIO.
- Às vezes fica em pé...

 

A casa, assim como nós, necessita de ar puro e sol para se manter saudável.

 

Entre balas perdidas e estilhaços de granada o sol insiste em nascer, mas distante.

 

Se o PSDB tivesse que devolver prejuízo causado ao país quebrava paraísos fiscais.

 

Um golpe na "mão leve" não é o mesmo que um golpe "manu militari".

 

Contagem de gatos (ou patos) pingados do MBL é rápida, o que demora é a divulgação.

 

De tão velho "O Vingador do Futuro" já virou vingador do passado.

 

Ciro Gomes X Moro: dois bicudos não se beijam em briga de cachorro grande...

 

Imprensa que não pensa o país só serve para embrulhar "carne fraca".

 

Assim já é demais: enquanto o MBL pagava mico, Lollapaloosa virava Lulapaloosa!

 

RBS espera entre resignada e atônita contagem de gatos(ou patos) pingados pelo MBL.

 

O MBL foi pra rua hoje e caiu na lata de lixo da história. - É Movimento Bem Lacaio.

 

Desgoverno Temer quer terceirizar para Dilma prejuízo político da terceirização.

 

Eu podia estar roubando mas só estou na contramão atrapalhando o tráfego. Um camelô...

 

Nessa câmara de deputados tem muito empregado pelego de patrão

 

Tanta delação premiada para arquivar. STF vai abrir concurso para arquivistas.

- Não, vão terceirizar.

 

Pescadores são rio e mar
Por isso sabem
De peixes e de barcos

 

Quando um sistema político está podre não é só a carne que apodrece junto.

 

É ilusória e frágil posição de não estar metido em política do cidadão medíocre.

 

Segundo Ailton Krenak já ajudaria muito uma Terra Sem Tanto Mal .

 

Alô, é do STF? Sobre o Moro...
bip...bip...bip... Vazou...

 

Alguém da área me responda: é só o Moro que está comandando esse estado de excessão?

 

Entidades alimentícias (sic) protestam contra "Carne Fraca", mediunidade do Globo?!

 

#DiaMundialDaAgua não resolve você poupar se o agronegócio desperdiçar.

 

Carne podre, leite com amônia, óleo ao invés de azeite: alimentos processados.

 

 IDH do Brasil abaixo da Albânia e Azerbaijão e cairá mais com os seus políticos.

 

Quando a cupidez anda de mãos dadas com a estupidez pode encomendar o caixão.

 

Ache quem defenda a CLT como alguns jornalistas de esquerda defendem empresas.

 

Com a proximidade da Páscoa aguarde a "Operação Ovo Choco"...

 

As discussões não mudam os fatos. - Sim, só os interpretam...

 

Deixe uma população à própria sorte e ela causará uma convulsão social.

 

Temer: "Presidente certo na hora certa". - O que a Suíça tem a ver com o Brasil?

 

Brasil não vende mais carne: a floresta e os povos indígenas agradecem!

 

A abolição da escravatura prejudicou a indústria nacional.

 

Não confunda filé mal passado com filé de "mau passado"...

 

Cena brasileira:
em roda de samba,
roda de capoeira
ou de poesia,
sempre bate um pandeiro
seja noite, seja dia!

 

Outono, mais frutas,
Folhas vermelhas caindo,
E pelamor, menos "trutas".

 

E a Era de Aquarius chegou! - E o Fim do Mundo também...

 

Uma reduzida e cruel "elite" é algoz dos brasileiros com a conivência da maioria.

 

Outono foi apressadinho
Chegou antes mas veio
Como manda o figurino!

 

Focinho de porco não é tomada, embora muitos confundam.

 

Se o capital tivesse nacionalidade não teria o dólar como padrão.

 

Afinal, quem desnacionalizou a indústria nacional (não foi a Polícia Federal)?

 

Defendem a "indústria nacional" como se como se esta indústria "nacional" não fosse aberta ao capital dos EUA e Europa...e China

 

A esquerda no governo fez um pacto faustiano: vendeu sua alma ao diabo do poder.

 

Bomba de chimarrão não é microfone: quem segura a cuia tem um um bastão de escuta.

 

Detectada nova síndrome em parte da esquerda: "Síndrome da Governabilidade" em defesa da bancada ruralista e dos frigoríficos.

 

Palavrões, muito errado falar isso. Sim, são todas palavrinhas...

 

Cada grão do arroz cateto integral Terra Livre é uma jóia que brilha sem polimento

 

E a Dilma? - Assistindo de camarote do "Globe Theatre" a farsa "MacTemer".

 

Saúde não se compra em farmácia. - Um salário-mínimo digno ajuda a mantê-la

 

Temer não disse que mulher não deve ser presidenta do Brasil.

 E precisa?... já derrubou uma. 


Temer não disse que as mulheres são belas, recatadas e do lar mas deixou tácito.

 

Há quem perca a vergonha ao ser alfabetizado. 

- Pior é quem perde quando eleito. 


PT precisa de autocrítica, quem formou estes "quadros" da suruba política também.

 

Outono dando o ar de sua graça, fresco e frutado.

 

Não se gasta dinheiro - se gasta tempo de vida - nos alerta Pepe Mujica

 

Capitalismo é para poucos. - Que parasitam o trabalho de muitos.

 

Um beija-flor dança
por entre
flores de bromélia

 

O que seria dos acadêmicos não fossem os construtores de paredes?

 

Facebook


Porto Alegre, 31 de março de 2017.

Edu Cezimbra


quinta-feira, 30 de março de 2017

Ciranda



Porto Alegre, 30 de março de 2017.

Foto: desenho de Portinari

Edu Cezimbra

quarta-feira, 29 de março de 2017

O país da conserva


O país é tão conservador que até seus políticos e magistrados estão em conserva


 Um país inteiro dedicado à produção de conservas. Sim, ele existe e se chama "Baziu".

Nesse país dos sonhos de consumo de picles o turismo gastronômico prospera.

A publicidade é toda dedicada a exaltar as qualidades da commodity: 
" Conservas Bazuca, coma senão você leva tiro na nuca".

Lá nesse país, ao primeiro sinal de vida inteligente fecha-se imediatamente todos os vegetais em potes de conservas para não estragarem.

Nas escolas e universidades- todas voltadas à produção de conservas- qualquer tentativa de discutir opções culinárias são postas no vinagre.

Tanto que a última reforma na linha de produção teve como mote o bordão: "Entre já em seu pote de conserva, você decide que vegetal vai ser ".

A mídia em conserva dedica-se a exaltar as vantagens econômicas do picles e só foge dessa linha para conclamar a sua polícia a oferecer umas azeitonas na salmoura (por óbvio), na boca desses  baderneiros que querem impedir a embalagem e o processo.

"Conserve-se com a boca tampada que não entra azeitona" é um dos ditos populares do lugar.

O leitor perspicaz deve estar pensando: " nossa como são conservados nesse país"...Boa piada, mas a expressão exata é: como são conservadores nesse país.

Basta ver que onde quer que vão suas autoridades ou "otoridades" (como são chamados lá) deixam um rastro de formol no ar... 

Xao Xi Pao, correspondente estrangeiro do jornal Asai Nabasa

Porto Alegre, 29 de março de 2017.

Foto: Picles do Bob Esponja

Edu Cezimbra 



terça-feira, 28 de março de 2017

segunda-feira, 27 de março de 2017

A primeira vez


A minha primeira vez foi assim: lá estavam eles, alinhados, capas duras vermelho-escuro, letras douradas.

Peguei o primeiro volume (eram dezessete) e oh, decepção, tinha muitas letras e poucas ilustrações.

Na época via "livros com muitas letras" como livros de adultos, e, como ardoroso fã de "revistinhas" (HQ), a minha primeira vez por pouco foi adiada, pois a reação instintiva foi fechar o grosso volume.

No entanto, algo me fez ler as primeiras palavras e foi como um truque de mágica: as imagens surgiram instantaneamente à minha frente.

A partir daí nunca mais deixei de ler, tornando-me um ávido leitor de tudo o que caísse em minhas mãos.

Para a mim a leitura se tornou "obrigatória". Recordo o prazer que me dava ficar horas na leitura, envolvido com os personagens e suas aventuras.

Engraçado, mas essa coleção estava bem escondida em uma estante fechada e ninguém me ofereceu os livros. Fui eu que os descobri bisbilhotando na estante.

Às vezes, tenho a impressão de que aqueles livros  é que me seduziram de uma maneira misteriosa, como um fetiche.

Quem pode saber... o que não dá para negar que esse caso de amor com os livros é de longa data e sem hora para acabar. 

O leitor mais atento já deve ter adivinhado que coleção foi essa que tanto me cativou, não?

Acertou quem pensou nas obras infantis do escritor brasileiro Monteiro Lobato e suas divertidíssimas personagens como Emília, Visconde de Sabugosa, Narizinho, Pedrinho, Dona Benta, Tia Nastácia e tantos outros...

Porto Alegre, 27 de março de 2017.

Foto: EOH

Edu Cezimbra



 

sábado, 25 de março de 2017

Vovó


Para os netinhos Íris, Guadua e Rosa Amma e à sua vovó Maritânia

Porto Alegre, 25 de março de 2017.

Edu Cezimbra

sexta-feira, 24 de março de 2017

Conto com desconto


- O que me contas?!

- Nada a contar...

- Não te faz, conta... conta!

- Não sei contar, sou ruim de matemática...

- Fala sério...não enrola, conta logo!

-  Mas, afinal, o que queres que te conte?!

-  Como vai o mundo lá fora?

- Imundo...

- Ah, dá uma pista...

- Aí é mais caro!

- Dá um desconto...

Esse tipo de conversa não é de hoje. Antigamente as notícias eram sabidas bem depois do ocorrido e por isso ansiosamente aguardadas.

Os grandes acontecimentos do mundo ocorriam longe dos pequenos acontecimentos mundanos da pacata vida de cada um.

Era um viajante que contava as "novidades" e isso dependia da vontade de cada um.

- Oh!, se eu pudesse voltar ao passado com a experiência que tenho agora!

- O que farias?

- O que eu não faria...

- O quê?

- Viajaria mais...Até à aldeia mais próxima, quem sabe até ao burgo. 

O passado era uma experiência a ser ambicionada e a nostalgia era valorizada. Afinal, tudo transcorria lentamente como a corrente de um largo rio e as conversas, por isso, adquiriam tons aventureiros.

- O que está lendo?

- Notícias...

- Sobre?

- Não sabes ler?!

- Não...

Depois (bem depois), com a invenção da imprensa apareceram os livros, e os jornais sustituiriam os contadores de história. 

Porém, sempre havia os que não sabiam ler e esses tiveram que esperar pelo rádio para seguirem ouvindo histórias, mas isso já é outra história...  


Porto Alegre, 24 de março de 2017.

Edu Cezimbra


quinta-feira, 23 de março de 2017

quarta-feira, 22 de março de 2017

Enganos em bronze


Inscrições rupestres já indicam que o hábito de registrar em pedra é antiquíssimo na nossa não tão velha humanidade.

Os poderosos de cada época procuraram gravar na pedra ou no bronze as suas vitórias.

Se tivessem que inscrever as suas derrotas possivelmente escreveriam nas areias.

Há quem diga que as derrotas ensinam mais que as vitórias.

No campo da aprendizagem é melhor andar em areia movediça do que no chão duro e escorregadio das certezas absolutas.

Ideias são como areia movediça, já as maquinações são feitas de ferro.

Se acaso você afundar em uma ideia lembre-se que para escapar dessa areia movediça basta pensar em outra ideia nova.

Já uma maquinação obsessiva faz sua cabeça mais dura, mas não esqueça que o alicerce é ainda mais duro que ela.

Por isso, mais saudável abrir a cabeça com novos pensamentos que quebrar a cabeça com velhos bordões.

O poeta Mário Quintana declarou que um "engano em bronze é um engano eterno".

Ao que mereceriam ser gravadas em bronze declarações e promessas de determinados políticos, juízes e jornalistas brasileiros.

Seriam colocadas as placas de bronze em suas salas (ou cavernas) para lhes recordar por que estão ali jogados na lata de lixo da história.


Porto Alegre, 22 de março de 2017.

Foto: Lucas Pedruzzi

Edu Cezimbra

terça-feira, 21 de março de 2017

Afrodisíacos


"Es necesario anunciar ahora, a piecho abierto y antes que el lector siga perdiendo su tiempo en estas páginas, que el único afrodisíaco verdaderamente infalible es el amor. Nada logra detener la pasión encendida de dos personas enamoradas"

Cantado em prosa e verso por grandes poetas e escritores, segundo Isabel Allende, no excerto acima de seu livro "Afrodite", o amor é o único afrodisíaco infalível.

Aqui para nós, caro e raro leitor, tendo a endossar essa afirmação tão inusitada quanto corajosa da talentosa escritora chilena já que o livro trata de receitas e outros afrodisíacos.



Recordo um belo momento do cinema que reafirma a convicção da escritora: o filme mexicano "Como Água para Chocolate" que "casualmente" também faz a relação entre a culinária e o amor. Nessa película os amantes pegam fogo no ato de amor, literal e figurativamente.

Outro autor que nos lembra essa propriedade do amor é o poeta épico portuguẽs Luís de Camões que canta: "Amor é fogo que arde sem se ver."



Isabel Allende concede aos enamorados esse privilégio quando diz em "Afrodite":


Desde el punto de vista de su valor estimulante, por lo tanto, lujo de uns tantos afortunados, pero inalcanzable para quienes no han sido heridos por su dardo.

Por isso, não tenho do que me queixar da vida: considero-me um afortunado...

Para DA, ela sabe que é...

Porto Alegre, 21 de março de 2017.

Fotos: O Nascimento de Vênus, de  Botticelli,
 cartaz do filme "Como Água para Chocolate"

Edu Cezimbra 

sexta-feira, 17 de março de 2017

Pé na Estrada


Jack Kerouac botou o "Pé na Estrada"


Também meteu o "pé-na-jaca".


Boto as botas de Jack,


Com os dois "pés-no-chão".


Não quero viajar para os EUA


Pra mim o muro é uma doença


Virando o rosto para a diferença.


Prefira sempre o que não é teu


E alcançarás o "hell",


O inferno é chafurdar nos EU.


Pula o muro, mas pula para o México,


Aí sim, tirararás o"pé-da-jaca".

 

Toma uma  "cerveza"  ao invés de badweiser,

 

Curta mais Zapata menos  Kaiser.

 

Dá até pra usar o facebook


Sem topar com o Zuck.


Ao invés, seguir quem escreveu


Um bom livro em bom português


Sem precisar chamar de "book".

 

Porto Alegre, 17 de março de 2017.

Edu Cezimbra 




quinta-feira, 16 de março de 2017

Fábulas e parábolas


"É mais fácil um camelo passar por um buraco de agulha que um rico", pregou Jesus aos fariseus.

Hoje, a parábola seria mais ou menos assim: "é mais fácil um camelo costurar que um rico abrir mão da grana."

" Estão verdes", disse a raposa, olhando as uvas que não estavam ao seu alcance.

Hoje, a fábula virou propaganda de posto de gasolina - "onde posso comprar uvas maduras?"- perguntaria a raposa para um gordinho fantasiado de galinha: " Posto Varejão"...

E tem aquela história dos dois monges atravessando o riacho. Um deles carregando uma moça nos ombros; ficaria mais ou menos assim: " eu já larguei a moça e você já postou nosso selfie com ela nos meus ombros?"...

- E a parábola do "filho pródigo"? 

- Essa virou a HQ do Homem-Morcego e o Menino Prodígio, mas o pai não é quem você está pensando, não....

Mais uma fábula para encerrar...

- Ah, não, conta mais!

- Só mais essa, depois fecha os olhos e dorme! Tem a fábula da "Formiga e a da Cigarra".

- Essa não! Conta a da "Formiguinha e do Elefante"...

- Boa noite!

Porto Alegre, 16 de março de 2017.

Charge: Santiago

Edu Cezimbra










quarta-feira, 15 de março de 2017

Coisas


Pedras, moedas, medalhas

Nunca enterre

Ou feche em cofre

Guarde onde possa ver

Tem ânsias as pedras

                            de rolar

Tem ganas as moedas

                             de rodar

Tem desejos as medalhas 

                             de brilhar

Todas as coisas

Achadas ou perdidas

Gastas ou ganhas

Colecionadas ou escondidas

Tem vida ligada

A quem nelas tocou

                            ou olhou

São objetos imantados

A contar histórias

Para quem sabe 

Ler os seus mistérios


 Porto Alegre, 15 de março de 2017.

Edu Cezimbra

terça-feira, 14 de março de 2017

A excelência da justiça e das nações


" Um juiz é obrigado a me demonstrar a minha culpabilidade, mas que eu deva lhe demonstrar a minha inocência. se isso me é impossível, eis o que é contrário ao senso comum. Há nações que compreenderam isso há muito tempo e por isso se tornaram grandes. A excelência de uma nação é proporcional à excelência de sua justiça."
  
Jakob Wassermann, na sua reputada obra-prima "O Processo Mauriziuscondena a justiça alemã da época nessa fala atribuída ao inocente Leonardo Maurizius, injustamente sentenciado à prisão perpétua pelo assassinato de sua esposa.

Leonardo emite esse veemente libelo diante do seu algoz, o promotor  barão Wolf de Andergast, que obteve a sua injusta condenação, inicialmente à pena de morte, depois comutada em prisão perpétua.

É o pai de Leonardo, o agricultor Pedro Paulo Maurizius, que reflete sobre a tese da acusação com o jovem Etzel Andergast: "Quando alguém se agarra a uma teoria nada o fará abandoná-la. A realidade? Pouco importa".

E é o adolescente Etzel imbuído de um forte senso de justiça  quem desencadeia uma crise de consciência em seu aristocrático e implacável pai.

Para além da discussão da justiça, o que me chamou a atenção foi a pena afiada do autor que como um bisturi cirúrgico disseca a alma humana com rara habilidade.

As almas angustiadas e sofridas que aparecem no romance são o reflexo de uma época em que se gesta o nazismo alemão.

Lamentavelmente, como constatamos no Brasil e no mundo atuais, diante de tantas injustiças e atrocidades, as lições da história não são aprendidas, mas sofridas.

Como disse o detento Mairizius ao procurador-geral von Andergast sobre sua experiência de 18 anos na prisão:
 "Todos os males, todos os sofrimentos da terra provêm da impossibilidade de transmitir nossas experiências aos outros. No máximo podemos comunicá-las."


Porto Alegre, 14 de março de 2017.

Edu Cezimbra

segunda-feira, 13 de março de 2017

sexta-feira, 10 de março de 2017

Ficção-científica


Arranha-céus (ainda em pé?, quero dizer, o termo), aerotrens pendurados em trilhos nas alturas, carros voadores que se cruzam velozmente sem colidir.

Andróides inteligentes, robôs, tecnologias médicas milagrosas que curam em poucos minutos, enfim, uma coleção interminável de máquinas piscantes.

Livros e muitos filmes tratam da ficção-científica, quase sempre com esse aparato miraculoso de alta tecnologia.

Por outro lado, aparecem nas telas cidades destruídas por hecatombes nucleares, poucos sobreviventes lutando entre si ou contra suas invenções cibernéticas.

Uma farta lista, especialmente de novos filmes, onde até o aquecimento global é pano de fundo de muita ação espetacular, imprescindível para fazer mais bilheteria.

São utopias e distopias (palavra mais recente, sintomática) que mexem com o imaginário cultural.

Há um outro gênero de ficção-científica, que vem de longa data e sempre recorrente , o das viagens espaciais.

Cheio de naves e estações espaciais tomadas por supercomputadores que impulsionam a colonização da Lua e de Marte, quando não de planetas em sistemas solares distantes milhares de anos-luz da nossa pequenina Terra.

Sinal dos tempos, há filmes em que a Terra devastada foi abandonada por sua elite dirigente e econômica, restando na Terra agrupamentos humanos que sofrem fome e todo tipo de privações.

Espera, mas isso não acontece realmente? Sim, acontece. 

E aí vem uma questão que é desconsiderada totalmente nessas obras de ficção: por que a realidade rivaliza com a ficção-científica em muitos pontos e até a supera?

Quando  fatos que assombraram o mundo nessas últimas décadas ocorrem aceleradamente em uma sucessão desconcertante até os ficcionistas são surpreendidos (que dirá os políticos).

Talvez, seja a hora de aceitarmos que nós humanos somos previsíveis, -  mas a vida e a história são imprevisíveis - e que temos que ser mais humildes e menos arrogantes.

Porto Alegre, 10 de março de 2017.

Foto: 2001: Uma Odisséia no Espaço (MGM)

Edu Cezimbra

quinta-feira, 9 de março de 2017

Máximas de até 80 caracteres para facebook


Cada um lê de acordo com seus preconceitos...


Não gostar de carnaval é direito seu, atacar por "consciência política" é colonial.

 

A grande frustração do crescimento e do progresso é que a Terra não cresce junto.

 

Justiça solta o ex-goleiro Bruno. - Será que ele voltará a atacar?

 

 Carnaval do golpe completa 9 meses e já é uma ditadura fantasiada de democracia.

 

Uma imprensa cínica e mercenária pode te fazer apoiar o opressor, recordam sábios.

 

Golpista nunca está seguro, sempre esperando o pior, mesmo com tudo a favor.

 

Damião, 11 anos, ensina sua mãe a ler e escrever aos 42 anos. Paulo Freire renasceu!

 

E o Serra, hein? - Dobrou tanto a coluna para os EUA que entortou de vez.

 

Eu só vivo o hoje, o aqui e agora. - Coitado, sofre de Alzheimer...

 

Discurso da doença não muda o mundo mas faz esquecer a saúde.

 

Discurso não muda o mundo mas discurso de ódio muda o mundo para pior.

 

Toda vista de um ponto é ótica, todo ponto de vista é neurótico...

 

Não são as roupas da moda que estimulam o estupro mas a cultura machista.

 

Polícia descobre túnel de fuga no presídio. - Não, era para entrar...

 

Interjeições recomendadas: - uau! para a aurora, - ôrra! para o por-do-sol.

 

E aí, melhorou?! - Pelhorou... dizia um amigo não-letrado mas neologista nato.

 

Suruba é suruba disse Jucá, o pornopolítico, mas a curra é curra no povo.

 

Onde leu 'guerra às drogas' leia 'criminalização dos movimentos sociais'...

 

Adeus, adeus, meu país ingrato
Eu aqui Moro mais não,
Vou morar meio do mato.
Esse país que só fica em pé
Quando é dirigido por presidenta mulher!

(Parodiando Noel Guarany)

 

O golpe mostra que não basta votar pra presidente.Há que botar o povo no congresso.

 

Esses dias frescos depois da chuva até parecem primaverão!

 

Culpar 'os direitos humanos' pela violência social não nos torna 'humanos direitos'.

 

No Brasil do Temer, ao invés de "novos ricos", os "novos pobres".

 

E o cordão do #ForaTemer cada vez aumenta mais!

 

Não confunda ócio criativo com negócio lucrativo.

 

Violência extrema é diretamente proporcional à pobreza extrema, e 'o vice versa'...

 

Depois do golpe 'combinaram' que a democracia serve para legitimar a ditadura.

 

Pare de olhar para trás, mas use o retrovisor.

 

Se Temer seguir afundando vai parar de patrocinar a sua apoiadora Rede Globo?

 

Gente, o Temer ainda tem 10% de avaliação positiva!- Não me deixem só...

 

"Respeitem ao menos meus cabelos brancos: não falem Temer perto de mim", parodiando Sílvio Caldas.

 

Eu podia estar escrevendo textão no facebook mas escrevo até 80 caracteres.

 

Moro, Moraes e Moreira, moralidade onde estás? - Moro onde não mora ninguém.

   

Gente! Temos que dar um voto de desconfiança a este golperno.

 

Aviso aos distintos ouvintes: onde ouviu governo ouça 'golperno' Temer.

 

Tirando os homicídios dolosos no trânsito, o resto é suicídio.

 

Sugestão de slogan para o desgoverno Temer: "Obsolescência Programada do Brasil".

 

O sol se fez de difícil e demorou a nascer entre as nuvens cinzentas de chuva.

 

O sol com Toque de Midas: até a chuva caiu de nuvens douradas como pingos de ouro.

 

A lua espiou pela fechadura das nuvens e virou um olho do céu.

 

Sugestão de slogan para o próximo governo: país rico é país sem milionários.

 

Brasília, onde ratos e gatos convivem empanturrados com muitas mordomias.

 

Tudo isso acontecendo e eu aqui no fb teclando frases de 80 dígitos para curtidas.

 

20 anos de falhas no ensino médio. - Não soube nem somar com os anos de ditadura militar.

 

Não há almoço grátis para os pobres. Já para os ricos é boca livre do governo.

 

Há 37 anos quando surgiu o PT eu já estava na faculdade fazendo a revolução ...sexual.

 

Estado Mínimo é coisa de liberal. Agora é Estado Mafioso.

 

Só o Chapolin Moro pode nos salvar! Tem marmanjo assistindo o Chapolin...

 

Nos EUA, Hoover acabou com os radicais de esquerda. Preferia radicais de direita.

 

Não é a Lava Jato que vai passar este país a limpo.

 

No slogan de certo desgoverno está escrito: Ordem e Pro...pina!

 

Cansa ser humano, mas daí a voltar ao estado de bestialidade é bem discutível.

 

No escritório do mato o wi-fi é por ondas canoras e o 'split' é de ar puro.

 

O Ministério da Saúde adverte: As pessoas como são não é o mesmo que pessoas sãs...

 

Golpe é pouco para definir este assalto em todos os poderes.

 

Perguntado por que não bate panela agora, respondeu: porque são os nossos corruptos.

 

Extra! Libélula entrou pela janela de casa para escapar do passarinho, que desviou.

 

Bipolarização política causa ausência de senso crítico e quem perde é a democracia.

 

Não confunda 'corte bolivariana' com corte bovina ariana.

 

No Brasil, quem rouba pouco é vagabundo. Quem rouba muito, cidadão do mundo.

 

No Brasil se fala muito em educação enquanto se vê péssima televisão.

 

Muito se fala em austeridade nas contas públicas.E quanto ao consumismo planetário?

 

O pior analfabeto político: o que assiste a Rede Globo.

 

O  Temer não indicou um advogado do PCC ao STF, indicou um advogado dos seus CC.

 

Não se fala de política em velório? - É a Globo, sempre mal-informando...

 

Avisa a Globo: no fim da guerra, o Goebbels se deu mal.

 

Pós-verdade, o preferido de gente de bem, pico certeiro na veia.

 

Jung falou: 'pensar é difícil, mais fácil é julgar', mas não exagere, digo eu...

 

Globo e BBB 2017 com a determinação de eliminar o Lula...

 

Lula não é JC mas recebeu vários abraços de Judas no velório de D. Marisa.

 

Paciente forte: resistiu ao tratamento.

 

No RS só não assaltam trem porque não tem...

 

Em páreo doentio a hipocrisia disputa com a hipocondria o título de mania nacional.

 

Só falta assalto de diligência para o RS voltar de vez ao passado.

 

Passava o céu 'em brancas nuvens' quando essas ficaram queimadas de sol.

 

Quando são pais que praticam cyberbullying de quem é a culpa?

 

Depois do Jr, Sartori e Temer até o mais cético passa a acreditar em assombração.

 

Quem carrega pedra acha que os outros nada estão fazendo ...

 

Tem gente que de tanto carpir passou a usar veneno, uns na roça, outros na raça .

 

O BBB 2017 aí e tem gente preocupada com o clima mundial, inacreditável...

 


       

Facebook, fevereiro de 2017

Charge: Daniel Lafayette

Edu Cezimbra