terça-feira, 21 de março de 2017

Afrodisíacos


"Es necesario anunciar ahora, a piecho abierto y antes que el lector siga perdiendo su tiempo en estas páginas, que el único afrodisíaco verdaderamente infalible es el amor. Nada logra detener la pasión encendida de dos personas enamoradas"

Cantado em prosa e verso por grandes poetas e escritores, segundo Isabel Allende, no excerto acima de seu livro "Afrodite", o amor é o único afrodisíaco infalível.

Aqui para nós, caro e raro leitor, tendo a endossar essa afirmação tão inusitada quanto corajosa da talentosa escritora chilena já que o livro trata de receitas e outros afrodisíacos.



Recordo um belo momento do cinema que reafirma a convicção da escritora: o filme mexicano "Como Água para Chocolate" que "casualmente" também faz a relação entre a culinária e o amor. Nessa película os amantes pegam fogo no ato de amor, literal e figurativamente.

Outro autor que nos lembra essa propriedade do amor é o poeta épico portuguẽs Luís de Camões que canta: "Amor é fogo que arde sem se ver."



Isabel Allende concede aos enamorados esse privilégio quando diz em "Afrodite":


Desde el punto de vista de su valor estimulante, por lo tanto, lujo de uns tantos afortunados, pero inalcanzable para quienes no han sido heridos por su dardo.

Por isso, não tenho do que me queixar da vida: considero-me um afortunado...

Para DA, ela sabe que é...

Porto Alegre, 21 de março de 2017.

Fotos: O Nascimento de Vênus, de  Botticelli,
 cartaz do filme "Como Água para Chocolate"

Edu Cezimbra