sexta-feira, 24 de março de 2017

Conto com desconto


- O que me contas?!

- Nada a contar...

- Não te faz, conta... conta!

- Não sei contar, sou ruim de matemática...

- Fala sério...não enrola, conta logo!

-  Mas, afinal, o que queres que te conte?!

-  Como vai o mundo lá fora?

- Imundo...

- Ah, dá uma pista...

- Aí é mais caro!

- Dá um desconto...

Esse tipo de conversa não é de hoje. Antigamente as notícias eram sabidas bem depois do ocorrido e por isso ansiosamente aguardadas.

Os grandes acontecimentos do mundo ocorriam longe dos pequenos acontecimentos mundanos da pacata vida de cada um.

Era um viajante que contava as "novidades" e isso dependia da vontade de cada um.

- Oh!, se eu pudesse voltar ao passado com a experiência que tenho agora!

- O que farias?

- O que eu não faria...

- O quê?

- Viajaria mais...Até à aldeia mais próxima, quem sabe até ao burgo. 

O passado era uma experiência a ser ambicionada e a nostalgia era valorizada. Afinal, tudo transcorria lentamente como a corrente de um largo rio e as conversas, por isso, adquiriam tons aventureiros.

- O que está lendo?

- Notícias...

- Sobre?

- Não sabes ler?!

- Não...

Depois (bem depois), com a invenção da imprensa apareceram os livros, e os jornais sustituiriam os contadores de história. 

Porém, sempre havia os que não sabiam ler e esses tiveram que esperar pelo rádio para seguirem ouvindo histórias, mas isso já é outra história...  


Porto Alegre, 24 de março de 2017.

Edu Cezimbra