segunda-feira, 11 de julho de 2016

Entrevista com a minha criança





Há quanto tempo, minha criança…



Não tenha medo, minha criança…



Ainda queres crescer, minha criança?...



Vamos brincar de quê, minha criança?…



- Tu estás aí, minha criança?

- …

- Tens medo de quê, minha criança...???

- Como eu estou velho…

- O tempo passa…

- Mas ontem eu era bem magrinho…

- É o peso dos anos….

- De que ano tu vem?

- 2016…

- O ano 2000 era tão distante em 1968, pensei que


nunca chegaria...

- E o mundo não acabou…

- Como o tempo custa pra passar...nas aulas. Passa 


muito ligeiro nas férias.

- Parece que foi ontem e faz tanto tempo…

- Tu ainda sabe brincar?

- Tento brincar com meus netinhos…

- E minha mãe, meu pai, meu irmão?

- Seguem vivos e fortes!

- !!!

- E o que eu vou ser quando crescer?

- Vais continuar sendo este menino sonhador e 


inquieto.

- Eu quero ser escritor, até já comecei um livro. Já 


tenho até o título: “Mundo Pequeno”, minha história, 


começa quando eu nasci!

- Olha, vai dar um livro bem grande!

- Então vou mudar o título para “Mundo Vasto”!

- Mundo mundo vasto mundo,
se eu me chamasse Raimundo
seria uma rima, não seria uma solução.
Mundo mundo vasto mundo,
mais vasto é meu coração.

- Hahahaha… essa é boa!

- Esses versos são do Carlos Drummond de Andrade, 


um poeta que vais gostar muito quando começares a 


gostar de poesia.

- O meu avô é poeta, fez uns versos pra um tal de Honório…

- O meu também! Hehehe…

- Olha, o Luizoto tá me chamando pra correr, tiau, meu velho!

- Vai lá, então! Mas antes de ir deixa te falar uma coisa: não deixe de correr atrás de teus sonhos!



Porto Alegre, 11 de julho de 2016.

Edu Cezimbra, 57 anos, correndo atrás dos sonhos de criança.