domingo, 28 de agosto de 2016

Diário de Viagem: Toledo, Espanha


Peço licença poética a Cervantes para que os seus míticos, lendários personagens, 'Don Quijote de La Mancha' e seu fiel escudeiro 'Sancho Panza', sejam nossos guias nessa visita inesquecível.

Presente em cada loja de lembranças, nas vitrines, nas calçadas, entende-se logo, ao se chegar na rodoviária de Toledo, por que Dom Quixote vivenciaria suas fantasias e delírios com muita intensidade nessa cidade.

Portas, muralhas, castelos, pontes romanas, igrejas, catedral, palácios apertados em ruas estreitas calçadas com pedras tornam muito presente o 
cenário de romances de cavalaria tão ao gosto do 'cavaleiro de triste figura' de Cervantes.

O rio que banha Toledo é o 'Tajo', nome espanhol do mesmo Rio Tejo de Lisboa. Nem Fernando Pessoa pode se dar o luxo de ter o Tejo como o rio que banha a sua aldeia...

Logo ao chegar a uma das suas muitas portas deparamos com uma manifestação popular de direito à água do 'Tajo' para abastecimento da população de Toledo. Mesmo em uma cidade murada as questões ambientais invadem suas muralhas e inquietam seus habitantes...


Toledo foi erigida em cima de uma colina que é quase uma ilha, circundada que é pelas águas mansas de seu rio. Escolha estratégica para sua defesa como comprovam os altos muros de pedra que circundam toda a cidade ligada por pontes romanas com portas que são em realidade torres fortificadas.

Dom Quixote ao passar por Toledo não teria que alucinar demais...

Outro aspecto notável de Toledo é sua arquitetura medieval com influência mourisca e judaica.

Palácios magníficos e mosteiros com claustros amplos ricamente ornamentados com colunas, abóbadas e janelas imensas abrindo para pátios internos com belos jardins e fontes transmitem uma sensação de contemplação e paz.

A Catedral de Toledo é uma das mais ricas da Europa com imensos vitrais, pinturas e altares revestidos de ouro. Situada entre ruas estreitas calçadas com pedras que formam um intricado labirinto cujo 'fio de Ariadne' é a torre alta da catedral espremida entre o casario e sobrados com sacadas de ferro ou madeira dando uma configuração muito peculiar ao sítio histórico.

Famosa há séculos sua cutelaria e ourivesaria com filamentos de ouro, herança árabe, atrai muitos visitantes para suas oficinas abertas ao público que pode observar de perto o trabalho de seus artesãos e adquirir suas obras.

A foto que ilustra este diário de viagem com a estatueta de 'D. Quijote e Sancho' tem como pano de fundo uma pintura: 'La Vista y Plano de Toledo'  do famoso pintor renascentista 'El Greco' que buscou refúgio em Toledo após ter suas obras rejeitadas em Madri. Existe um museu dedicado a ele com réplicas de móveis e aposentos da casa onde morou 'El Greco' assim como a exposição permanente de muitas de suas obras-primas, entre elas a réplica de 'Lágrimas de San Pedro' cujo original está na Catedral de Toledo.

Culminando este cenário de rara beleza encontra-se a fortaleza de Alcázar com seus museus de armas, uma espécie de coroa desta cidade que poderia ser intitulada por Dom Quixote de "Reina de La Mancha". 


Toledo, 31 de janeiro de 2016.

Fotos: Francisco Cezimbra

Edu Cezimbra