quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Se blog fosse diário




"Querido diário,

Hoje acordei tarde. 

Umas batidas secas no telhado da casa.

Parecia um martelo...

Provavelmente um pica-pau a afiar o bico."


Calma querido e raro leitor deste diário, digo, blog...

Não prosseguirei contando as maçantes tarefas domésticas e picuinhas de foro intímo (não diretamente, óbvio).

Lembrei, apenas, que o blog era para ser inicialmente um diário, lá por 2000 e antigamente...

Então, quando o blog era um diário seria o título mais verdadeiro, mas isso que escrevo não quer ter status de verdade, como disse o genial poeta Manoel de Barros.

Dizem as más-línguas que alguns 'esquerdopatas' sujaram os blogs escrevendo sobre política, provavelmente saudosas dos tempos em que os blogueiros escreviam amenidades e relatos do cotidiano.

Se os blogs fossem diários dá para imaginar um 'direitopata' confessando:

"Querido diário, hoje me diverti muito atribuindo citações de 'Mein Kampf' a Lenin, sem esquecer de xingar ele de comunista esquerdopata bolivariano! Adoro ver como minhas geniais alcunhas são reproduzidas por muitos comentaristas nas redes sociais!, embora confesse para ti, querido diário, que às vezes me faltem termos mais contundentes para caluniar esses detestáveis petralhas. Ainda bem que os manuais de nossas invejáveis revistas e falhas jornalísticas nos suprem dessas indispensáveis doses diárias de mentiras e distorções dos fatos. Não é divertido, querido diário?"
Ainda bem que isso não é verdade, não?...


Porto Alegre, 08 de fevereiro de 2017.

Edu Cezimbra