quinta-feira, 20 de abril de 2017

Guinevire e Lancelote


NO GALOPE VELOZ DO PENSAMENTO
Fiz da língua minha ágil espada
Para contar o deslumbramento
De na Távola Redonda por morada
Permanecer ao lado dessa senhora
Guinevire, minha dama apaixonada.
Fez de mim seu valente cavalheiro
Para na batalha ter seu lenço por bandeira
Por escudo
sua boca de dentadura faceira
E como mote um coração de aventureiro.



Mote e glosa do poeta de cordel Assis Coimbra:

Pra lendária Avalon eu viajei
E entrei para o *exército de Arthur,
Rei bondoso que com sua *excalibur
Tornou-me Lancelote em sua *grei.
E fiel escudeiro eu me tornei
Para ver Guinevire, em tal momento.
Só que ao *vê-la, foi grande encantamento
Que ali mesmo fiquei *paralisado.
Mas depois por ela fui muito amado,
NO GALOPE VELOZ DO PENSAMENTO.


Porto Alegre, 20 de abril de 2017.

Edu Cezimbra