quarta-feira, 5 de julho de 2017

Milagres diários



Levanta, sacode a poeira e dá a volta por cima!, conclama o samba.


- Levanta pra cair de novo, diria meu velho pai - do contra -, ao que acrescento, se nada mudar...

Convenhamos, levantar-se todas as manhãs (ou todas as tardes depois da sesta) é um milagre da criação.

Certa ocasião, li a confissão de um adicto, "eu me drogo para conseguir amarrar meus tênis".

A pergunta que surge é a do porquê levantamos diariamente... 

Talvez porque se não levantarmos aparecerão as inevitáveis escaras?

A maioria das vezes levantamos por obrigação. 

Levantamos à duras penas, maldizendo o despertador (como se a culpa fosse "só" dele), mal-humorados, sentindo-nos de mal com vida...

E quando pulamos da cama (e não é para o xixi...)? Ora,- essa todo mundo reconhece - quando não temos obrigação, óbvio.

Há também quem não queira levantar nos finais de semana ou feriados...

Imagine a cena bíblica:

 - Levanta-te e anda!

- Pô, mas que sacanagem, logo agora que eu tinha obtido folga, sem precisar me levantar!, reclamaria o beneficiado depois de mais um milagre médico.

Agora, convenhamos, para quem tem de levantar e andar todos os dias um milagreiro interior opera no automático.

Levantar e trabalhar obrigatoriamente parece tão difícil quanto escrever todos os dias...

O milagre, nesse caso, ocorre ao reverso: "senta-te e não te levanta"...



Porto Alegre, 5 de julho de 2017.

Imagem: Pinacoteca Barão de Santo Ângelo

Edu Cezimbra