segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

Saudação ao Fogo



Das entranhas da Mãe-Terra erupcionas em lavas, vapores e cinza, sepultando e nutrindo.

Das tuas chamas volatizam-se os metais na busca da Pedra Filosofal, do Ouro Espiritual dos alquimistas.

Aos ancestrais da nossa espécie foste proteção, Deus- Sol, que morrendo e ressuscitando das trevas, davas luz, calor e vida.

És atemporal, eterno, infinito.

Criador e criatura, fértil e alimentado, ativo e contido, evocas imagens poderosas, integrado à matéria, à vida, ao espírito.

Símbolos como paus - madeira que o gera - , representação do Poder, dos raios de Zeus, de Apolo e sua carruagem solar, que tudo penetra e imola são magníficos, indeléveis, natureza, energia vital,vermelho, serpente ígnea M'boitatá, kundalini, coração crístico, espiritualidade.

Quando quebrada a ordem natural, tornas-te incontrolável, tudo destróis, avassaladoramente.

Apocalíptico, fogo do fim dos tempos, fogo das profundezas do Hades, punes, torturas e castigas.

A ti, fogo-libido, rendo minha homenagem de ser humano agradecido pelas tuas virtudes que impulsionam minha vida:




Divino Fogo

Da Sarça Ardente

Dos Heróis e Deuses sacrificados

De Prometeu

Fogo do intelecto analítico que tudo decompõe

Fogo da linguagem

Do Verbo

Das palavras ardentes

Do Espírito Santo

Das paixões incandescentes

Saúdo-te reverentemente

Edu Cezimbra, "foi lá por 96"