terça-feira, 30 de maio de 2017

Viagem para o interior



A mim, agrada muito viajar para o interior do estado. 

Lembro que, quando adolescente, muito me incomodava essa "classificação" de interior, acho que me soava como "inferior".

Após muitos anos, dou-me o luxo de mudar o sentido de "interior do estado" para algo - não digo superior -, porém com tanta igualdade quanto a capital do estado.

O interior é que sustenta a capital. Aliás, até em termos populacionais.

Também se fala "viajar pra fora", com o mesmo sentido. Curiosa contradição...

Afinal, de onde vem essa "supremacia" da capital, admitida mesmo por parte dos "interioranos"?

Quando falo com moradores dessas cidades pequenas percebo que há uma certa tendência a exaltar as "virtudes" da capital, em especial no que diz respeito à facilidade de acesso aos serviços e equipamentos culturais (fato).

Ao mesmo tempo, para muitos moradores das cidades menores, na capital tem a "violência" (também um fato).

Na recente viagem que fiz ao interior comentei com minha esposa o quanto ela tinha dormido bem a noite inteira, em meio ao silêncio e a paz do lugar.

E isso é o principal ponto a favor do "interior", um aspecto externo que aparece no modo de ser e no estilo de vida nessas cidades.

Como é bom caminhar pelas calçadas, atravessar as ruas sem correr o risco de ser atropelado pelas pessoas e pelos carros...

Ar puro, sem o ruído ensurdecedor das grandes cidades, que permanece como pano de fundo mesmo quando as pessoas se recolhem aos seus apartamentos.

E aí, outro aspecto de uma pequena cidade que muito valorizo: sem adensamentos e sem verticalização desnecessários.

Quando vou a uma cidade que ainda mantém as suas primeiras casas, então é uma alegria! Que beleza de construções! Espaçosas, com muitas aberturas, porão, pé direitos altos, enfim muito conforto para seus felizes moradores.

Embora dê a parecer, não idealizo as cidades do interior; sei que há muitas dificuldades a serem enfrentadas e superadas pelos seus habitantes, mas acredite, são bem menores do que as das grandes e congestionadas metrópoles...

Porto Alegre, 30 de maio de 2017.

Foto: Francisco D. Cezimbra

Edu Cezimbra