quinta-feira, 30 de junho de 2016

Réplica




Ela se apaixonou pelo médico.
Viveu iatrogenizada, o resto da vida.

Ela se apaixonou pelo cozinheiro.
Comeu em excesso, o resto da vida.


Ela se apaixonou pelo poeta.
Se tornou diversa, em cada verso.



Porto Alegre, 30 de junho de 2016.

Edu Cezimbra, dentista homeopata, gourmet e poeta