quinta-feira, 17 de março de 2016

Ode à capoeira

capoeira

Em meio à poeira
Sem perder a atenção
Ginga ágil capoeirista
Até planta bananeira
.
Logo aplica uma rasteira
Ao ritmo do berimbau
Com uma rápida pirueta
Evita a queda fatal
.
Cada pulo colossal
Todo passo é de dança
Tem uma esquiva magistral
Com mandinga não se cansa
.
Trazida lá de Angola
Desde tempo tão pungente
É arte marcial brasileira
Reconhecida mundialmente!

Edu Cezimbra, no outono de 2015