quarta-feira, 2 de março de 2016

Diário de Barcelona I



Para um brasileiro, Barcelona é uma espécie de evocação da terra natal.
Já no voo vindo da chuvosa e fria Milão, no norte da Itália, deparei-me com o litoral do Mar Mediterrâneo, águas esverdeadas e com pequenas praias de areia branca entre os rochedos com matas! 
Ao sairmos do aeroporto, palmeiras balançavam suas folhas ao sabor de uma suave brisa vinda do mar.
Descemos do ônibus que nos trouxe do aeroporto na Plaça d'Espanya (em catalão) e duas torres enormes demarcavam o início de uma larga avenida que desembocava em um parque (Parc Montejuïc) com o que me pareceu uma catedral no alto, que depois vim a saber é o Palau Nacional, que abriga o Museu Nacional D'Art de Catalunya e onde das suas imensas escadarias, se pode ver, à noite, o espetáculo de cores das aǵuas dançantes da Fonte Mágica.
O táxi que pegamos era dirigido por uma simpática senhora sexagenária que consultou um guia das “calles” (carrer, em catalão) impresso, enquanto dirigia... E achou!
Do Brasil, como me pareceu de todo europeu com quem conversei, conhece o Rio de Janeiro e a única dica de Barcelona que nos deu foi a Fonte Mágica, além de recomendar peremptoriamente que evitássemos os bares de "La Rambla" por serem muito caros...
Após deixarmos as malas no apartamento em que ficamos durante 3 noites, fomos caminhar em "La Rambla" através de ruas estreitas e ocupadas por muitas pessoas com seus trajes típicos muçulmanos dando um ar oriental a esta parte de Barcelona.
 Diferente das ramblas de Montevidéu, as ramblas de Barcelona não acompanham o mar, pode-se dizer que levam até o mar...ou ligam o mar com a Plaza Cataluña (Plaça Catalunya, em catalão).
Em seu longo percurso temos uma amostragem da vida noturna de Barcelona, que na hora em que chegamos começava a borbulhar com seus bares, cafeterias e sorveterias com as mesas dispostas no largo passeio de La Rambla.
 Encontramos logo o famoso Mercat La Boqueria que naquele horário já estava com muitas bancas “cerradas” mas ainda permitia se vislumbrar a diversidade de alimentos oferecidos pelos seus extrovertidos atendentes.
 Finalmente chegamos à Plaça Catalunya que premia seus visitantes com duas imensas fontes iluminadas cercadas por jardins e estátuas de mármores, além de largas avenidas com seus prédios comerciais predominando na volta.
Diante do adiantado da hora resolvemos voltar ao apartamento (mais uma caminhada) e descansarmos para no outro dia, logo cedo, irmos conhecer a Barcelona de Gaudí!
Buenas noches!

Barcelona, 17/02/2016
Edu Cezimbra