sexta-feira, 4 de março de 2016

VENEZA



Cidade úmida
por estreitos canais
deixa-te penetrar
por gôndolas
negras e longas

Encaras de frente
sedutora
o oriente

Apaixonada
deixa-te fecundar
grávida de mundos
exóticos
a todos incorporas
maternalmente
para propiciar 
renascimento

Nao és Babilônia
nem Jerusalém
És eternamente
Veneza
venezianas abertas
olhos postos no além


Edu Cezimbra
Porto Alegre, 4 de março de 2016