sábado, 10 de setembro de 2016

Escrevo porque preciso, publico porque amo



Caro leitor,

Venho pedir a sua compreensão.

Sei que estou escrevendo "a torto e a direito"... 

São mal traçadas linhas, sei bem, nesses meses em que estou publicando nesse blogue. porque escritas no atropelo dos acontecimentos.

Como disse: impressões como se escritas com caneta-tinteiro e mata-borrão.

É que escrevo porque preciso, publico porque amo.

Graham Greene disse que que "escrever é uma forma de terapia".

Para mim é uma necessidade. 

E compartilho porque amo. 

Amar, Verbo Intransitivo, disse Mário de Andrade.

Amo publicar.

Faço questão de publicar, como ato de fé na literatura.

Publicarei sempre, nesse blogue, serei mais um 'blogger' a me unir a muitos mundo a fora, que teimam em não ser "legumes em frente ao televisor", como disse Rubem Fonseca.

Nesses meses, já tive o prazer de ter mais de dezesseis mil leitores, para minha grata surpresa.

Agradeço, de coração, essa atenção.

Se puder seguirei escrevendo para você...



Porto Alegre, 10 de setembro de 2016.

Edu Cezimbra