quarta-feira, 14 de setembro de 2016

O Vidente Lima Barreto em 'Os Bruzundangas'



Na Constituição não está escrito assim: " toda a vez que um artigo ferir interesses de parentes de pessoas da ‘situação’ ou de membros dela, fica entendido que não tem aplicação." 

Escrito não está o tácito acordo que após remover uma presidente democraticamente eleita através de uma manobra jurídica-parlamentar, dois dias depois muda a mesma disposição para blindar o usurpador que assumiu.

Aliás, o pré-requisito do 'presidente' : deve ser um deslumbrado e completo idiota que recebe o pomposo título de 'Manda-Chuva' (sem alusão ao gato).

Quanto à justiça é chamada de 'chicana' pela sua venalidade.

Todo o parlamento aberta ou sorrateiramente é de 'situação', obviamente, pois não querem perder as vantagens 'inerentes à situação'.

O país em questão recebeu o nome de 'Bruzundanga' e é descrito com espírito satírico por Lima Barreto, escritor afro-brasileiro, no livro intitulado 'Os Bruzundangas', de 1923(!?)...

Até parece que  Lima Barreto era vidente, não?

Porto Alegre, 14 de setembro de 2016.

Edu Cezimbra