segunda-feira, 4 de abril de 2016

"Déjà vu" em Antares



Ontem à noite comecei a reler "Incidentes em Antares", de Erico Veríssimo, onde nos primeiros capítulos ele faz uma recapitulação da história política do país, vivenciada por seus sempre pitorescos personagens. 

Entre eles, Tibério Vacariano, um estancieiro, que fez fortuna, no Rio, durante a ditadura de Getúlio Vargas, através do tráfico de influências.
Quando ele anuncia para a sua cozinheira o suicídio de Vargas ela pergunta: "E agora,o que vai ser dos pobres?"...ao que o Tibé retruca baixinho: "Os pobres vão continuar tão pobres, como no tempo em que ele estava vivo".

Na voz de um dos personagens do livro, o jovem padre Pedro-Paulo,  comunista é o pseudônimo usado para rotular todos os que se preocupam com justiça social.

Aliás, as eleições de 2014 trouxeram um déjà vu ou é só impressão minha? Teve um tempo no Brasil em que partidos de esquerda eram clandestinos e a disputa eleitoral era restrita a partidos liberais.

Déjà vu: entre a UDN e o PTB, pobres como eu, tem que ficar com o PTB!

Ah, é que estou lendo "Incidente em Antares" de Érico Veríssimo, e ali tudo que fosse contra os interesses do "patronato agropastoril" era proscrito. Ora, déjà vu...

Porto Alegre, outubro de 2014.

Edu Cezimbra